Descartado pelo Vitória, joia da Seleção sub-17 marca gol da classificação do Brasil no Mundial.

Postada em 07/11/2019 09:59:03 -
Por: JNHOJE

 

O Vitória já foi conhecido mundialmente por revelar e apresentar talentos para o futebol. Atletas como Alex Alves (in memorian), Dida, Hulk, David Luiz, Elkeson, entre outros, foram revelados pelo Rubro-Negro e se destacaram no cenário mundial.

Na última quarta-feira (6), a Seleção Brasileira sub-17 avançou para as quartas de final da categoria, após vencer o Chile por 3 a 2, sendo o gol da classificação marcado pelo baiano Diego Rosa, que foi jogador do Leão até junho de 2017, quando a gestão época teve a "brilhante" ideia de trocar uma das maiores promessas da base do clube pelo zagueiro Wallace Reis, que na época era jogador do Grêmio. A negociação foi conduzida por Petkovic, gestor do Leão neste período.

O então diretor executivo de futebol do clube gaúcho, André Zanotta, contou à Rádio Gaúcha como a negociação foi conduzida.

"Nós temos no Brasil o costume de emprestar jogadores pagando parte do salário. Não acho isso justo. Em uma negociação dessas, temos de buscar contrapartida. Quando o Vitória nos procurou querendo o empréstimo do Wallace Reis, queria dessa forma. Então, eu falei que gostaria de uma contrapartida e disse que tínhamos interesse no Diego Rosa, que, na época, estava se destacando no time sub-15 do Vitória. Essa era a condição para emprestarmos o zagueiro. Deu certo", revelou André Zanotta, em entrevista à Rádio Gaúcha.

Diego Rosa não começou a Copa do Mundo como titular absoluto, mas já havia marcado outro gol, desta feita contra a Nova Zelândia, na vitória por 3 a 0.

André Zannota ainda revelou que após assinar contrato profissional com o Grêmio, o Rubro-Negro ficaria com um percentual dos direitos econômicos.

"Quando manifestamos o interesse no Diego Rosa, ele não tinha ainda 16 anos (idade mínima exigida pela Fifa para que um jogador possa assinar um contrato profissional), então ele tinha com o Vitória um contrato amador. O acordo que fizemos é que, ao assinar o contrato profissional com o Grêmio, o Vitória ficaria com um percentual dos seus direitos. Aí, quando ele completou 16 anos, fizemos um contrato profissional com o atleta. Víamos um potencial muito grande. Foi um legado bacana de termos trazido esse jogador. É um ativo que tem tudo para chegar ao time principal e render benefícios esportivos e financeiros ao Grêmio. Fico muito feliz com o sucesso que ele está fazendo", disse o atual diretor-esportivo do FC Dallas, dos Estados Unidos.


Fonte: Galáticos Online

© 2013 - 2019 jnhoje.com

Notícias da Costa do Descobrimento, sul e extremo sul da Bahia.


Anuncie: 73 9 8121-8979 | contatojnhoje@gmail.com


 (73) 98121-8979  |